Arquivo mensal: março 2012

Danone subestima o poder do Crowdsourcing !

As organizações nunca mais serão as mesmas depois das redes sociais. Disso todos temos a absoluta certeza. O poder de disseminar opiniões e botar a boca no trombone ganhou dimensões, que dependendo do apelo, podem rodar o mundo e futucar na ferida aberta de qualquer empresa.

Porém, o lado bom sempre existe, e as informações dos consumidores de qualquer lugar no mundo podem revolucionar um setor. Bem vindo ao maravilhoso mundo do Crowdsourcing. O termo vem da junção das palavras inglesas crowd ( multidão) e source (fonte). Logo, é a utilização da chamada inteligencia coletiva, para a resolução de um problema ou a criação de um novo produto. O termo se tornou popular após uma matéria da famosa revista americana Wired em 2006 com o titulo “The Rise of Crowdsourcing”  escrita pelo jornalista Jeff  Howe.

De lá para cá, muita coisa mudou, e a ideia de ter uma contribuição coletiva para a resolução de problemas é algo sem volta. Se você estiver lendo este post em um navegador Firefox, deve saber que o mesmo foi construído com o auxilio de programadores de todo o mundo. Produtos criados com base no modelo crowdsoursing tendem a serem bem aceitos e sempre estão em constante atualização. Quem nunca deu uma olhadinha no Wikipedia? Quem nunca ouviu falar nos carros da Fiat que foram criados a partir de sugestões? Nas ações promocionais para a escolha do novo sabor de Fanta ou das batatas Ruffles?

Já existem até sites especializados em divulgar os chamados “desafios”. ( No brasil o mais famoso é o battleofconcepts.com.br e no mundo o mais famoso é o  site innocentive.com) Onde as empresas interessadas em novas ideias , resoluções de problemas e até a cura de doenças, divulgam em tais sites os tais “desafios” e as melhores ideias são premiadas em dinheiro ou mesmo com um emprego .

A starbucks ao ver a necessidade de um canal que seja muito mais eficiente do que aquela velha e repugnante caixa de sugestões , criou em março de 2008 o mystarbucksidea.com. No seu primeiro ano de funcionamento chegou a receber mais de 75 mil sugestões para as suas lojas e produtos. No  ambiente o consumidor não só pode mandar uma sugestão como votar nas que considera as melhores. Uma das grandes ideias implementadas através do site foi o Starbucks Vip Card….o nome já diz tudo.

Contudo, hoje fiquei um pouco espantado. Diante de uma abertura tão grande das empresas ao movimento crowdsoursing, fiquei sem entender como o consumidor e suas opiniões são tão subestimados. Em 2010, a Danone lançou uma edição limitada do Danette Ovomaltine e só depois de muitos pedidos pela internet foi que a empresa reformulou a sobremesa  incrementando os famosos flocos do Ovomaltine.

HÃ? Como assim? Foram necessários 2 anos para lançar algo que eu e meio mundo de gente também quer disponível agora? Acho que a empresa deve ter a noção de que dois anos são mais do que suficientes para que num cenário hipotético uma Nestlé da vida criasse o que realmente os consumidores querem! Fica uma lição. Não subestimar o poder da multidão…..

Anúncios
Etiquetado , , , , ,

A culpa é sempre deles!

Que a economia brasileira não foi lá essas coisas em 2011, todo mundo sabe. Agora, sair colocando culpa nos outros é para mim coisa de quem não quer nuca sair feio na foto. Hoje saiu o índice  de crescimento do PIB de 2011 pelo IBGE. Ao tomar conhecimento do numero de 2,7% de crescimento, os opositores do governo já começaram a chiar e com toda a razão.

Entre os Brics, o resultado foi o pior. Não adianta comparar o índice com as projeções dos países desenvolvidos. NOS AINDA NÃO SOMOS ! Temos que ser realistas. Somos ainda um país das commodities, das taxas absurdas, dos enormes tributos trabalhistas, da corrupção.  Dilma abre a boca e sem medo declara que a culpa é toda da crise. Seu ministro Guido Mantega diz a mesma coisa. Ao ver uma matéria hoje no site exame.com, confirmei o que já me ocorria em mente. O Brasil ainda não fez o dever de casa! 

Ser passado pela Russia é para mim uma questão de ofensa . Como uma país, que até pouco tempo atras era um caos e que tem 1/3 de sua economia apenas baseada no petróleo passou o Brasil? Como a China, em meio a mesma crise, conseguiu projeções do FMI de 9,2% para 2011?

Não adianta, devemos encarar a realidade. O governo não investe em infraestrutura. O PAC é uma piada de mal gosto. E ao invés do governo criar um ambiente de competição para a industria, cria “muros” na esperança de manter os empregos em solo brasileiro. Sonho e me sinto um tolo. Sonho com a reforma tributária, com investimento em infraestrutura de verdade – como faz a China. Sonho com investimento em educação, pois como disse o ex – ministro Delfim Neto no Jornal Nacional de hoje :“Em 2030, o Brasil precisa dar emprego de boa qualidade para 150 milhões de brasileiros. Alguém imagina que isso vai ser dado com exportação agrícola e exportação de minério? A indústria e os serviços são fundamentais para esse desenvolvimento” 

Serviço não sei, mas que a industria tá ruim por aqui é fato. Basta analisar o que disse o presidente da Foxconn sobre  o Brasil em um programa de tv em Taiwan :  O Brasil lembra “a antiga Taiwan exportadora de bananas” . Por mais difícil que seja, ao contrario de Dilma, tenho que admitir que ele está certo. Assumir o erro e o início para dar a meia volta e seguir o caminho seguro. Mas, nem isso o governo faz!

Etiquetado , , , , , , ,

Mais vale um pássaro na mão do que dois voando!

Vira e mexe me deparo pensando em como o foco é importante na vida de qualquer organização. São as decisões tomadas hoje que delimitam os espaços para a empresa no amanhã. A mais de um ano venho acompanhando os resultados pífios – para dizer o mínimo- da B2W, o maior conglomerado do e-commerce brasileiro. E lhe digo uma coisa: A coisa tá PRETA. No ultimo relatório  trimestral de 2011 a companhia amargou um prejuízo de R$: 60,4 milhões .

Como muitos me perguntei: Como uma companhia com receita de R$:3 bi consegue ter prejuizo? Vasculhei o relatório e descobri que de 2010 a 2011 a B2W ,na ânsia de não perder o market share,  diminui sua margem bruta de 27,6% para 25,7%   .  Isso só deu uma leve alta nas receitas, mas, a operação continuou com a mesma taxa de despesas gerais de 2010, em aproximadamente 15%. Ora essa. Não precisa ser um bom matemático para saber que se você diminui sua margem em 1,9% ( lembrando que no varejo isso representa quase que a margem líquida) e mantem o mesmo patamar de despesas………..Hummmmmmm Acho que  deu pra entender!

Acontece que achei necessário contextualizar a situação da B2W para entra no assunto deste post. A matéria de capa da revista Época Negócios deste mês é sobre a Netshoes  e o seu crescimento espantoso. De fato, se tudo ocorrer como o previsto, a empresa fechará 2012 com uma receita de 1 bilhão de reais.  Nos ultimos 3 anos a empresa multipplicou por seis a sua receita e agora chega perto dos MAMUTES como a B2W. Fora o fato de que em 2011, graças a campanhas na TV,  a Netshoes se tornou  a loja online mais acessada do Brasil!

Não sei a sua opinião, mas creio que tudo isso mostra que o cenário já mudou e agora é a vez das .com especializadas. Não é a toa que a Amazon comprou em 2009 por US$: 1,2 BI a loja Zappos. Estamos no momento de consolidação das lojas totalmente voltadas para um mercado específico. Se quero um tênis vou para a Netshoes.com…………Se quero um perfume vou para a Sacks.com……………Se quero roupas de bebês, vou para a Babystore.com e assim como aconteceu no mercado americano, está acontecendo no nosso.

Essas empresas têm enormes vantagens se comparadas a B2W. Vantagens que não vou mencionar, pois dariam um outro post, de tão grandes e complexas que são. Termino apenas com o sábio provérbio que intitula este post: “Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”.

Etiquetado , , , , , ,